16 fevereiro 2018

Recentemente li o livro #GIRLBOSS da Sophia Amoruso, fiquei totalmente inspirada e neste post vou explicar o porquê. No livro, Sophia nos conta sua trajetória desde que saiu da escola, dos empregos que teve, a criação de sua loja de roupas vintage no Ebay, chegando até os dias de hoje, de como sua pequena loja se transformou em uma empresa milionária. Atualmente, Sophia é uma executiva de 100 milhões de dólares, CEO da loja Nasty Gal e uma mulher inspiradora, vale lembrar que além do livro #GIRLBOSS há também a série da Netflix lançada em 2017, inspirada no livro e produzida pela própria Sophia e estrelada pela maravilhosa Britt Robertson.

A história de Sophia é muito motivadora e envolvente para quem está em busca do sucesso. Porém, sucesso não somente no sentido de ganhar ou fazer dinheiro, mas também de realizar um sonho. Como ela diz em seu livro, o #GIRLBOSS foi criado para todos conseguirem se projetar em uma vida incrível em que se possa fazer o que quiser. Este livro, porém, não vai ensiná-la a ficar rica ou como começar um negócio.
Este livro vai ensiná-la a aprender com os seus próprios erros e com os erros da própria Sophia – e vale destacar que este livro não é um manifesto feminista. A meu ver ela dá três conselhos que vale a pena relembrar, são eles: nunca vire gente grande; não vire uma pessoa chata e nunca deixe o sistema te dominar. Como Sophia diz logo em seu primeiro capitulo: “A vida é curta. Não seja preguiçosa.”. Então vamos aos 7 passos para se tornar uma #GIRLBOSS:

1°passo: Não há regras para ser uma #GIRLBOSS, mas acredito que uma delas seria questionar tudo e todos. Claro, com sua devida sensatez.

2°passo: Como disse anteriormente, não tenha preguiça, pois só temos uma vida para ser vivida. Então, faça, aconteça, erre, respire, tente de novo, recomece e talvez acerte.

3°passo: Seja seu próprio ídolo. Admirar as conquistas dos outros é ótimo, mas não gaste suas energias focando somente nas outras pessoas, foque em você, em seu trabalho e como fará para realiza-lo.

4°passo: Abandone qualquer coisa da sua vida e dos seus hábitos que possa estar prendendo você. Recicle ou jogue fora. Algumas vezes é melhor jogar tudo fora e começar do zero do que continuar com algo que não te faz bem.

5°passo: Seja sempre você mesma e seja honesta com seus princípios. Sinceridade é a palavra que domina.

6°passo: Aproveite a caminhada. Divirta-se e faça bons amigos e memórias.

7°passo: Lembre-se que é através dos erros, ou enganos, que se acha o caminho certo. Todas as ações são criativas, nunca destarte suas ideias.

E tenha em mente que o caminho certo para os outros nem sempre é o caminho certo para você, pois cada um tem sua caminhada e é isso o que torna tudo tão incrível e especial. Para ser uma #GIRLBOSS não é necessário ser de terminado gênero. Para ser uma #GIRLBOSS é necessário ter força de vontade e foco. Ser uma #GIRLBOSS nem sempre segue o caminho que todos dizem correto, como Sophia Amoruso diz em seu livro “Caminho certo e estreito não é o único para chegar no sucesso”. E para terminar, para se tonar uma #GIRLBOSS é preciso se empenhar e construir seu caminho um pouquinho a cada dia. e então, porque não começar hoje? Projete um #GIRLBOSS e se torne uma.

Recentemente li o livro #GIRLBOSS da Sophia Amoruso, fiquei totalmente inspirada e neste post vou explicar o porquê. No livro, Sophia nos conta sua trajetória desde que saiu da escola, dos empregos que teve, a criação de sua loja de roupas vintage no Ebay, chegando até os dias de hoje, de como sua pequena loja […]

Leia mais

escrito por

Escorpiana, 22 anos, estudante de letras, criadora do Garota Turquesa. Deixou seus medos para trás e foi realizar seu sonho. Para me conhecer melhor me siga nas redes sociais @Gabimodolo26



5 janeiro 2018

Oi pessoal,

No post de hoje eu quero compartilhar com vocês algo que eu decidi implementar na minha vida: O Minimalismo.

Quem me conhece sabe que eu tenho uma quedinha por moda, eu gosto de me vestir e me sentir bonita, sabe? E quem não gosta de vestir uma roupa que te deixa com a autoestima lá no céu? Eu gosto muito do assunto, por isso eu estou sempre pesquisando sobre ele, mas não vai achando que eu sou uma especialista não, tá bom? É apenas um interesse mesmo. Sabe aquela frase famosa da Chanel: “Vista-se mal e repararão o vestido, vista-se bem e repararão a mulher”? Então, é basicamente isso que eu tento seguir. A forma como eu leio essa frase é a seguinte: vestir-se bem não significa necessariamente vestir roupas caras ou que estão em tendência, mas vestir o que, de fato, me representa. Dessa forma, é evidente que verão quem eu sou. Mas nem sempre fui assim; por muito tempo eu achei que não era uma pessoa que se encaixava no perfil fashion. Vou contar um pouquinho da minha história para você: Quando eu era criança eu não tinha nenhum interesse por moda, obviamente eu só queria ser criança e brincar o tempo inteiro – embora a gente bem saiba que tem meninas que desde pequenininhas gostam de se “enfeitar” da cabeça aos pés, e eu era justamente o oposto: eu não me preocupava em colocar um vestido, não me preocupava se o meu sapatinho combinada com a estampa da minha blusa ou coisas o tipo! Então eu já cresci achando que eu não tinha estilo nenhum, que não sabia nada de moda e o pior, que não era muito feminina!

Imagina só que louca! Foi na metade da minha adolescência que eu realmente comecei a ter interesse pelo assunto da moda. Comecei a pesquisar, tentar imitar ou criar looks, mas o fato é que eu ainda não me via como uma pessoa estilosa, sabe? Eu nunca fui uma menina que gosta de passar horas e horas no shopping, entrando em todas as lojas para comprar produtos, que por vezes são absurdamente caros, e que no fim das contas eu provavelmente iria usar uma vez ou outra. Por isso, quando eu olhava e ainda olho, para aquelas blogueiras lindas, que fazem a gente sonhar com aquele tipo de penteado ou aquele vestido incrível ou aquele sapato de salto 15 que me deixaria achando que sou a gêmea da Gigi (Gisele Bündchen, para aqueles que não são achegados!) ou aqueles closets que são maiores e mais cheios que meu apartamento, eu me achava a própria capivara com dengue! Isso porque aquele não era, e creio que nunca será, o meu estilo de moda, ou vida. Não me leve a mal, eu amo um saltão, vestidos, saias, calças, blusas… E quem quiser me presentear, fique à vontade; o que eu quero dizer é que eu não sinto a necessidade de ter um guarda roupa (nem digo closet, por que não sou tão chique assim, quem sabe um dia eu chegue lá!) Lotado de roupas e sapatos que eu não vou ter nem ocasião para usar. Então, eu me perguntei: qual é o meu estilo? É sobre isso que eu quero conversar com você.

Recentemente, em umas dessas minhas pesquisas na internet, eu encontrei uma moça super fofa que tem um canal no YouTube, onde ela fala sobre o estilo minimalista que ela adotou. Quando eu a vi e pensei: “Pronto! Tem outro caminho! Eu tenho estilo sim! ”. Comecei a pesquisar mais e mais sobre o assunto e pude ver que existem muitas pessoas adotando essa postura. Tópicos como Moda sustentável, Slow fashion e tantos outros movimentos que tem por aí eu e eu estava por fora! E algo interessante de ver também, é que não são só pessoas solteiras ou casais sem filhos, que adotam essa postura não, famílias com mais de nove membros também podem ser minimalistas! O assunto, obviamente, não se aplica apenas à moda, ele é gigante! Eu fiquei muito feliz quando descobri tanta informação! E decidi que quero isso para a minha vida. Não quero ter mais do que eu preciso, como certo sábio uma vez disse: “Tendo sustento e com que nos vestir, estejamos contentes”. E tenho que certeza que será um processo, talvez, longo e difícil, no começo, mas tenho certeza absoluta que irei colher efeitos positivos dessa escolha.

Eu sempre digo que um hábito é difícil de perder e de adquirir. Portanto, é importantíssimo escolher o hábito certo que você quer para sua vida. Eu tenho mania de guardar tudo o que me dão, com o pretexto de que talvez um dia eu possa precisar. Se você abrir meu guarda roupa, agora mesmo, você ainda vai ver um monte de roupa que eu não uso há mais de um ano. E olha que já doei um monte delas, mas ainda preciso me desapegar de tanta coisa! Que mania doida né?! Para que precisamos de tanta coisa, se no final das contas vamos usar, no máximo, 1/3 delas?
Bom, eu espero que até o próximo post eu consiga trazer a boa notícia de que eu me desapeguei de mais um pouco das coisinhas que eu não uso!

Como você pode ver, tem muita coisa boa para compartilhar sobre o assunto, espero que você goste e possamos conversar mais sobre isso!
Então me conte um pouquinho sobre o seu estilo também!

Oi pessoal, No post de hoje eu quero compartilhar com vocês algo que eu decidi implementar na minha vida: O Minimalismo. Quem me conhece sabe que eu tenho uma quedinha por moda, eu gosto de me vestir e me sentir bonita, sabe? E quem não gosta de vestir uma roupa que te deixa com a […]

Leia mais

escrito por

Cearence de raiz, carioca de coração. Ama passar tardes divertidas com os amigos; conhecer novas pessoas e descobrir novos lugares. Cozinhar é o seu hobby e bater um papo sobre música ou filmes é o segredo para ganhar sua amizade. Para me conhecer melhor me siga nas minhas redes sociais @laenalleandro





desenvolvido por QRNO