11 abril 2018

Só mais cinco minutos. Preciso de seu calor. Do seu abraço hospitaleiro, que não me deixa seguir. Que me impede de levantar, e fugir. Meu coração se aquieta ao seu lado. Sua calmaria me faz bem. Já te disseram que você tem uma energia boa, que cativa. A serenidade que percorre os lençóis emaranhados, só me fazem ter certeza de que sou sua.

Não tem porque partir, o sol ainda não nasceu. Deite aqui, volte a se perder comigo, se perca em mim. Não deixe que a calidez dos lençóis se esvaeça e se torne calmaria. Neste mundo somos somente eu e você, não há nada que nos espere lá fora e não há espaço para mais ninguém, esse emaranhado é só nosso, esse infinito é só meu.

Existe um mundo inteiro a ser descoberto em seu olhar. Volta, deixe-me desvendar seu cheiro, uma nota de cada vez. Sua voz me acalma, me segura no lugar. Só mais um minuto. Com um simples olhar, um suspiro que me toma por inteira, detalhando minuciosamente cada parte do meu corpo. Com um simples suspiro, sinto sua energia me cativando.

A cumplicidade renasceu em seus braços, os temores antigos partiram. Meu corpo tem um encaixe perfeito em seu peito, nossas mãos se entrelaçam, se tornam intimas e desfrutam, de nossas almas. O tempo para, mas passa em segundos. Um presente paradoxal das noites quentes, feita para os amantes poderem brindar e brincar. Sua respiração acelerada faz com que meu corpo queime, te desejando incansavelmente e desesperadamente. Fica, não vá.

Temos a vida inteira para decidirmos em quais papeis queremos atuar, aqui nesse quarto escuro só existe o universo de intimidade que nós criamos. Não deixe que o pensamento infortuno atrapalhe a nossa aventura. Não vá embora. Não me deixe partir, me pegue em seus braços e me guie de volta para o nosso mundo. Não tenha medo de falar. Diga que quer que eu fique, não deixe as dúvidas separem os nossos corpos.

Com o uivar do vento lá fora, sua decisão de partir sai sozinha pela porta, enquanto seus dedos acariciam meu cabelo, e me deixa inquieta. Com um olhar fraco e respiração entrecortada, você sabe que sua sanidade se perderá em meus braços. Só basta um olhar para saber que é aqui que quero ficar. Sua alma me convida para passar a noite. Seria prudente respirar o ar lá fora, no entanto é em seus pulmões que vejo o mistério que anseio descobrir. Que me nutre, me acalma, venha e seja meu ar. Me guie nesse desalinhado de corpos em nossa cama, me ensine a amar. Fica, se acomode, e acabe com o caos que é a minha mente quando está distante de mim.

Não vá, quero que essas palavras sejam as últimas que saem de minha boca. Quero que cale meus pensamentos com seus lábios. Te quero que mal consigo respirar. Meu corpo fala por si só. Venha ser meu, nem que seja por uma noite. Quero sentir suas mãos em volta de meu corpo, me segurando com toda vontade do mundo, quero ser mulher mais uma vez e quero que você seja o homem.

Só mais cinco minutos. Preciso de seu calor. Do seu abraço hospitaleiro, que não me deixa seguir. Que me impede de levantar, e fugir. Meu coração se aquieta ao seu lado. Sua calmaria me faz bem. Já te disseram que você tem uma energia boa, que cativa. A serenidade que percorre os lençóis emaranhados, só me fazem ter certeza de que sou sua.

Não tem porque partir, o sol ainda não nasceu. Deite aqui, volte a se perder comigo, se perca em mim. Não deixe que a calidez dos lençóis se esvaeça e se torne calmaria. Neste mundo somos somente eu e você, não há nada que nos espere lá fora e não há espaço para mais ninguém, esse emaranhado é só nosso, esse infinito é só meu.

Existe um mundo inteiro a ser descoberto em seu olhar. Volta, deixe-me desvendar seu cheiro, uma nota de cada vez. Sua voz me acalma, me segura no lugar. Só mais um minuto. Com um simples olhar, um suspiro que me toma por inteira, detalhando minuciosamente cada parte do meu corpo. Com um simples suspiro, sinto sua energia me cativando.

A cumplicidade renasceu em seus braços, os temores antigos partiram. Meu corpo tem um encaixe perfeito em seu peito, nossas mãos se entrelaçam, se tornam intimas e desfrutam, de nossas almas. O tempo para, mas passa em segundos. Um presente paradoxal das noites quentes, feita para os amantes poderem brindar e brincar. Sua respiração acelerada faz com que meu corpo queime, te desejando incansavelmente e desesperadamente. Fica, não vá.

Temos a vida inteira para decidirmos em quais papeis queremos atuar, aqui nesse quarto escuro só existe o universo de intimidade que nós criamos. Não deixe que o pensamento infortuno atrapalhe a nossa aventura. Não vá embora. Não me deixe partir, me pegue em seus braços e me guie de volta para o nosso mundo. Não tenha medo de falar. Diga que quer que eu fique, não deixe as dúvidas separem os nossos corpos.

Com o uivar do vento lá fora, sua decisão de partir sai sozinha pela porta, enquanto seus dedos acariciam meu cabelo, e me deixa inquieta. Com um olhar fraco e respiração entrecortada, você sabe que sua sanidade se perderá em meus braços. Só basta um olhar para saber que é aqui que quero ficar. Sua alma me convida para passar a noite. Seria prudente respirar o ar lá fora, no entanto é em seus pulmões que vejo o mistério que anseio descobrir. Que me nutre, me acalma, venha e seja meu ar. Me guie nesse desalinhado de corpos em nossa cama, me ensine a amar. Fica, se acomode, e acabe com o caos que é a minha mente quando está distante de mim.

Não vá, quero que essas palavras sejam as últimas que saem de minha boca. Quero que cale meus pensamentos com seus lábios. Te quero que mal consigo respirar. Meu corpo fala por si só. Venha ser meu, nem que seja por uma noite. Quero sentir suas mãos em volta de meu corpo, me segurando com toda vontade do mundo, quero ser mulher mais uma vez e quero que você seja o homem.

escrito por

Escrito por: Gabriela Modolo e Gwydian Verissimo


desenvolvido por QRNO